Siga as redes da Tik

Meu dia em Lower Manhattan

6 de junho de 2017

Lower Manhattan é o extremo sul da ilha de Manhattan, também conhecida como Downtown. É uma área da cidade que está se restabelecendo por conta dos atentados de 11 de setembro – e está ficando INCRÍVEL.

Meu dia por lá começou na estátua da liberdade, um presente da França para os Eua, em comemoração aos 100 anos da independência americana, em 1876. Quando ficou pronta em 1884, foi desmontada e enviada de barco para os EUA. Sua inauguração foi em outubro de 1886. É possível ver a estátua de duas formas, a primeira é comprando um ingresso e indo de barco até a ilha onde fica o monumento, que é chamada Liberty Island, nesse passeio está incluída a visita a Ellis Island, uma ilha que conta com o museu da história da imigração americana, era ali que acontecia a inspeção dos imigrantes e a porta de entrada nos EUA. A outra forma, é pegar o barco até Staten Island, um condado de NYC, este barco é gratuito e escolhendo essa maneira, verá a estátua mais distante.

Eu fiz esse segundo!

Uma curiosidade: um dos nomes na construção da estátua é o do arquiteto Alexandre Gustave Eiffel.

Ali, é bem pertinho de Wall Street, o centro financeiro de NYC, depois de caminhar uns 10 minutos no máximo cheguei no Charging Bull, a escultura de bronze de um touro, que fica no cruzamento da Broadway com Wall St, reza a lenda que se passar a mão no focinho, chifre e testículos traz dinheiro e prosperidade – claro que passei muito a minha. No dia internacional das mulheres, colocaram uma menininha enfrentando o touro, em homenagem a nós – era temporária, mas decidiram deixá-la ali mesmo, e eu já estou doida para voltar e ver a nova estátua.

O lugar mais surpreendente de todos e onde vemos como a cidade está se reerguendo super bem, sem esquecer e ignorar o que aconteceu em 2001 é o Ground Zero, local onde ocorreram de fato os ataques terroristas. Em 2006 foi inciada a construção do One World Trade Center, que demorou 8 anos para finalizar, prédio com 540 m de altura que simboliza o renascimento de NY, em seu topo há um observatório, com uma visão 360 de Manhattan, que eu, infelizmente, não consegui ir, o tempo no dia estava feio e com muita chuva.

O memorial 9/11 fica em frente ao One WTC, duas fontes de fundo infinito, com o nome das vítimas – elas foram construídas onde ficavam as torres gêmeas. É algo louco, impressionante.

Ali na praça, ainda fazendo parte das homenagens, está o 9/11 museum, que conta com objetos pessoais das pessoas que não conseguiram sobreviver. Sinceramente, não quis entrar, acredito que seja uma energia bem pesada.

Nessa região tem dois shoppings, o Westfield e o Brookfield Place. Os dois são interligados através de uma passagem subterrânea. O primeiro é o maior shopping de Manhattan, tem uma arquitetura bem futurística e faz parte da estação de trem PATH, e também do Oculus, que ao ver de fora, parece uma escama de peixe, mas na verdade, é tudo isso junto (shoppings, estação, passagem subterrânea). O Brookfield conta com lojas de luxo, o delicioso Le District, que é um bar, lanchonete, padaria, restaurante, mercado francês, a maneira mais fácil de explicar é dizendo que é um Eataly Francês. Ambos ainda estão com lojas vazias.

E assim foi meu dia em Lower Manhattan, um dia forte, em lugares que deixam a gente triste pelo que aconteceu e feliz por ter conseguido sobreviver e ver as mudanças boas acontecendo, mas em nenhum momento me senti mal por estar ali.

Lembrando que nessa viagem estava conectada 24 horas com internet ILIMITADA, com o chip da easy sim 4 u. Para garantir o seu, cliqueaqui.

Não fique por fora das novidades!

Ir para o topo

2018 © Tik de Viagem. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Outlab.